B O L E T I N S - J R & M
 
     

Boletim 0005/2018 - DEDUÇÃO DE PERDAS COM RECEBIMENTO (LUCRO REAL)


RECEITA FEDERAL PUBLICA INTERPRETAÇÃO ENVOLVENDO DEDUTIBILIDADE DE PERDAS NO RECEBIMENTO DE CRÉDITO


O ato declaratório esclarece que todas as condições previstas na Lei nº 9430, de 1996, devem ser observadas ou as perdas pelo não recebimento de crédito “pobre” não poderão ser deduzidas

Foi publicado, no Diário Oficial da União, o Ato Declaratório Interpretativo RFB nº 2, de 2018, que dispõe sobre as condições para dedutibilidade de perdas no recebimento de créditos decorrentes das atividades das pessoas jurídicas.

Para fins de dedução de perdas no recebimento de créditos na apuração do Imposto sobre a Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), algumas pessoas jurídicas entendem que não precisam adotar as providências exigidas pelos arts. 9º e 10 da Lei nº 9430, de 1996. Simplesmente esperam cinco anos contados do vencimento da dívida (operação de empréstimo) e fazem a dedução.

O ADI esclarece que todas as condições previstas na referida Lei devem ser observadas ou as perdas pelo não recebimento de crédito (crédito “pobre” como chamado pelo mercado) não poderão ser deduzidas.

Fonte: RFB




Os boletins da JR&M tem como objetivo exclusivo a orientação genérica dos assuntos contábeis, fiscais e da área trabalhista. A utilização dos mesmos, on ou offline, depende de autorização expressa e não podem compor peças relativas a defesas, pleitos e qualquer outro procedimento não coberto por atendimento previamente contratado. Embora todas as informações inseridas nos boletins tenham base legal devidamente pesquisada, a JR&M alerta para o fato de que somente a contratação de um profissional da área contábil pode garantir a correta manutenção legal da empresa e da pessoa física.

JR&M ASSESSORIA CONTÁBIL ©